Ao embarcar em uma relação, desnude sua alma




Que bom seria se a gente pudesse se vestir da gente mesmo e nada mais. Despido de mecanismos de defesa, frases de efeito e sacadas inteligentes.
Tudo seria bem mais simples se a gente pudesse simplesmente desfilar por aí. Com as nossas manias defeitos, deslizes e avessos. Poder tirar toda a pose de bom moço e deixar vir à tona as nossas humanidades. Seria tão bom poder falar abertamente sobre o que somos realmente. Os medos, as crises e as ansiedades.
Que bom seria se ao fazer um novo amigo a gente simplesmente pudesse falar a verdade. Colocar as bagagens repletas de memória em voga. Mas o que acontece normalmente é que temos medo do julgamento, com isso recuamos. Mostramos apenas as partes bonitas e deixamos omitida boa parte da história. O que pode fazer que consigamos amigos, mas sempre teremos algo para ocultar.
Acredito que todos nós temos segredos e se revelar despido deles é uma tarefa além de árdua, exige coragem. Mostrar como realmente somos para nós mesmos pode ser um desafio, o que dirá para as outras pessoas.
Gostaria de um mundo repleto de conversas de almas despidas. Sem receio de se mostrar em toda sua humanidade

Crônica: O que Restou


Já foram quase três anos. Da porta fechada. Das reticências postas entre nós. Do adeus que construiu silêncio. Superar você, tarefa complicada..

Ainda há mágoa e ressentimentos. Ver você  ao lado de outra garota. O sorriso farto,o brilho intenso está em tudo que eu vejo, faço ou penso A história de nós dois fica rondando a minha mente atrás de alguma explicação. Qual foi o ponto exato que nos perdemos? Será que saímos da mesa quando o amor ainda estava sendo servido? Quando foi o momento exato que nos deixamos ir? Quero de verdade torcer pela sua felicidade e cruzar os dedos para que essa garota, seja sua  preferida. Mas no fundo tudo que eu queria era voltar a ser sua pequena.

Neste emaranhado de sentimentos e nostalgias, tento seguir em frente ao lado de outro alguém.Tentar ser um outro par, mudar de lugar para tentar caber em outros formatos que não formem hiatos como os que formamos.
 do seu olhos e todo interesse posto em outro alguém.Você tem outro par. Mudou de lugar e deixou tudo bagunçado. Ainda carrego uma.mala abarrotada de lembranças. Ainda levo comigo uma ponta de esperança.

Sei que fui eu que colocou um ponto final.  Mas mesmo assim ver você partir ainda faz exaltar tudo que construímos juntos. Os planos,sonhos segredos e declarações. Tudo se torna um pacote pesado demais para ser carregado. Te ver bem e feliz ao lado de outro alguém causa ainda embrulhos no meu estômago. Tento te esquecer, mas você reaparece em uma canção, em uma cena de cinema, nos lugares que íamos juntos. Confesso que muitas vezes fico à espreita de um encontro meio assim por acaso, mas repleto de querer

Ver você com a sua nova garota só faz eu me lembrar de quanto é difícil seguir em frente. Você ainda


Resenha: Tudo aquilo que eu não disse




Sinopse

A vida da doce Tina Craig parece estar destinada a mesmice dos anos 70: ela vive presa em um casamento infeliz com um marido problemático. Isso desafia Tina a unir todas as suas forças para sair desse abismo e finalmente conquistar a paz de espírito que ela tanto quer. Seu destino toma um rumo diferente quando ela encontra uma carta escrita em setembro de 1939. A carta, que nunca chegou ao destino certo, lhe traz uma nova esperança, um alento para o seu coração tão maltratado. Tudo muda de figura quando a vida de Tina se choca com os destinos do casal Billy e Chrissie, trazendo William, um jovem em busca de sua mãe biológica, para sua jornada por conta de um mero acaso.

Resenha

   O que me chamou a atenção de cara foi a capa do livro  e o título despertam curiosidade. Um livro que mescla o passado e o presente trazendo a toma a vida de duas mulheres com o mesmo nome. A Christina de 1973 vive um relacionamento abusivo. Como muitas mulheres que sofrem agressões do marido e ao mesmo tempo se agarram a esperança que as coisas mudem. A sua vida sofre uma reviravolta quando encontra no bolso de um paletó um envelope fechado destinado a uma Christina. Intrigada em saber o porque aquela carta nunca fora entregue, resolve deixar de lado seus problemas a fim de se deter em entregar a carta ao seu destino.  O que ela não vai esperar que isso poderá afetar a sua vida para sempre.

  O leitor é apresentado a Christina de 1939. Uma moça que trabalha para o pai que é médico a auxilia a mãe que é parteira. Mas seu pai é extremamente rígido e não aceita o namoro da filha com Billy. Com isso a segunda guerra se aproxima podendo separar este casal. O namoro deles é bonito e repleto de romance e promessas, mas irá sofrer inúmeras reviravoltas. O destino reserva inúmeras surpresas.

  Um livro que prende a leitura. Mescla de forma clara e concisa o poder das palavras e o  quanto um mal entendido pode fazer que a vida das pessoas seja afetada.  Uma carta não entregue muda completamente o destino e afeta o curso da história.  Faz que muitas coisas ficassem pelo caminho , mas de repente a vida traz uma boa surpresa e faz que o desfecho possa ser diferente. 

  Com uma construção bem elaborada dos tempos, mesclando o passado e o presente faz que o leitor vá se envolvendo pelos personagens a fim de irmos descobrindo novas nuances. Um livro bem interessante para quem curte uma boa história de amor.